Site Overlay

Secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, cancela viagem à OTAN após hospitalização | Notícias da OTAN


Austin foi hospitalizado na unidade de cuidados intensivos por complicações de câncer de próstata.

O secretário da Defesa dos EUA, Lloyd Austin, cancelou a sua viagem a Bruxelas para se reunir com os ministros da NATO e trabalhar na ajuda militar à Ucrânia, depois de ter sido hospitalizado com complicações de cancro da próstata, segundo autoridades norte-americanas.

Austin, de 70 anos, foi levado ao Centro Médico Militar Walter Reed no domingo com “sintomas que sugerem um problema emergente na bexiga”, disse o Pentágono.

Austin estava programado para viajar a Bruxelas na terça-feira para participar de uma reunião common do Grupo de Contato de Defesa da Ucrânia, um grupo de cerca de 50 países, para coordenar a ajuda militar a Kiev. Essa reunião será agora realizada virtualmente, disseram dois responsáveis ​​da defesa dos EUA à agência de notícias Related Press, sob condição de anonimato.

Após a reunião na Ucrânia, Austin participaria numa reunião common dos ministros da defesa da NATO, também em Bruxelas. Não está imediatamente claro se a vice-secretária de Defesa, Kathleen Hicks, para quem Austin transferiu suas funções, participará dessa reunião.

Austin não divulgou uma cirurgia de câncer de próstata em dezembro e uma subsequente hospitalização em janeiro para lidar com suas complicações. Este mês, o secretário de gabinete pediu desculpas por não ter contado a Biden e aos altos funcionários sobre seu diagnóstico de câncer, acrescentando que o susto de saúde foi um “soco no estômago” que o abalou.

A hospitalização mais recente foi anunciada publicamente brand depois que ele foi levado ao centro médico militar por seus seguranças.

Austin deve testemunhar perante o Congresso em 29 de fevereiro sobre o sigilo em torno de sua hospitalização inicial.

A sua viagem a Bruxelas teria ocorrido num momento crítico na Europa.

Um Senado dos EUA estreitamente dividido chegou mais perto de aprovar um projeto de US$ 95,3 bilhões pacote de ajuda para a Ucrânia, Israel e Taiwan no domingo, mostrando o bipartidarismo inalterado, apesar da crescente oposição dos radicais republicanos e do ex-presidente dos EUA, Donald Trump, à continuação da ajuda à Ucrânia.

A legislação inclui 61 mil milhões de dólares para a Ucrânia, o que é visto como essential por Kiev, à medida que se aproxima do segundo aniversário da invasão em grande escala da Rússia, à medida que as linhas da frente no leste e no sul da Ucrânia estão praticamente estáticas há muitos meses.

Trump, que busca retornar ao poder nas eleições presidenciais de novembro, levantou uma tempestade de críticas da Casa Branca e de altos funcionários ocidentais no fim de semana por sugerir que não defenderia os aliados da OTAN que não gastassem o suficiente em defesa e até encorajaria Rússia para atacá-los.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 15 =