Site Overlay

Polônia capitula à UE sobre financiamento da Ucrânia – Politico — RT World Information


Varsóvia foi acusada de criar uma “situação de reféns” ao alavancar a ajuda de Kiev para um acordo tributário

O governo polonês cedeu à pressão da UE na quinta-feira e retirou sua oposição a um pacote de políticas que envolve milhões de euros em ajuda à Ucrânia, informou o Politico, citando fontes diplomáticas em Bruxelas. No entanto, Varsóvia ainda está em conflito com seis países da Europa Ocidental por causa das sanções que afetam as exportações russas de fertilizantes para a África.

Em questão estava um pacote que envolvia € 18 bilhões (US$ 19 bilhões) em ajuda a Kiev, congelando € 6,3 bilhões em financiamento da UE para Budapeste até que a Hungria conclua “reformas” exigido por Bruxelas e concordando com a alíquota mínima de imposto corporativo defendida pelos EUA. Tendo previamente concordado com o pacote, a Polônia tentou na quarta-feira fazer com que o plano tributário fosse considerado separadamente, de acordo com para a tomada.

“Há muita frustração com a Polônia colocando em risco a ajuda da Ucrânia ao bloquear o imposto mínimo”, disse. um diplomata da UE não identificado disse ao Politico na quarta-feira, descrevendo o movimento como “outra situação de tomada de reféns.”

“É como um relacionamento abusivo: eles continuam prometendo que será diferente da próxima vez, mas no fundo sabemos que vamos nos machucar de novo e de novo,” disse outro diplomata da UE.

Na tarde de quinta-feira, no entanto, o PM polonês Mateusz Morawiecki retirou suas objeções. Ele também capitulou a Bruxelas no “Estado de Direito” questão em casa, sinalizando na quarta-feira que a Polônia mudará as regras disciplinares para os juízes, a fim de cumprir as diretrizes da UE e desbloquear milhões em financiamento.

A Comissão Europeia reteve € 35 bilhões em doações e empréstimos de recuperação pandêmica até que a Polônia se submeta. O Partido Lei e Justiça (PIS) de Morawiecki propôs um projeto de lei isso levaria as questões disciplinares a outro tribunal superior, que a UE considera mais independente do governo. Seus parceiros de coalizão podem não apoiá-lo, e a oposição não tem pressa em lançar uma tábua de salvação para Morawiecki. Também não é certo que o projeto de lei seria suficiente para apaziguar Bruxelas.

Mas Varsóvia continua obstinada na questão das sanções contra a Rússia. Com o apoio dos três estados bálticos, a Polônia quer manter o embargo existente ao transporte marítimo russo – enquanto Bélgica, França, Alemanha, Holanda, Portugal e Espanha propuseram diminuir as restrições à exportação de fertilizantes, argumentando que isso aumenta o perigo de fome no país. África.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − 4 =